O comportamento do consumidor de turismo tem mudado ao longo dos anos, o que faz surgir novas motivações de viagens, como aquelas voltadas para a pesca. No Brasil, o número de licenças emitidas para a prática da pesca amadora indica que a atividade está em expansão. De 1998 a 2015, o número de emissões dobrou, atingindo cerca de 190 mil licenças. Nesse contexto, surge um mercado promissor para o profissional Condutor de Turismo de Pesca. No curso, o aluno será capacitado para conduzir com segurança qualquer tipo de turista para locais onde seja possível praticar a pesca amadora, orientando sobre o passeio e informando sobre os aspectos ambientais e até mesmo culturais da região. Ao final do curso, o aluno estará apto a auxiliar o turista tanto na escolha das iscas, quanto no traslado aquático e na soltura dos peixes capturados. O profissional ainda será capaz de elaborar roteiros de visitação de forma planejada e articulada com os demais agentes envolvidos na atividade turística local.

Público-alvo

O curso é voltado para os amantes da pesca que tenham interesse em se profissionalizar e ganhar dinheiro com a atividade, profissionais que já atuam no setor e gostariam de ter uma certificação oficial para aumentar a carteira de clientes e turismólogos já formados em busca de especialização na área para enriquecimento de currículo. Conhecidos popularmente como guias de pesca, piloteiros ou pirangueiros, os condutores de turismo de pesca já são cerca de 60 mil no Brasil, segundo a Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva (Anepe).

Perspectivas no mercado de trabalho

O mercado tende a crescer a partir do reconhecimento da profissão pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), ocorrido em fevereiro de 2015. A inclusão da profissão no Cadastro Brasileiro de Ocupações (CBO) foi um passo importante para o setor e permitirá aos profissionais da área serem contratados com carteira assinada e todos os direitos trabalhistas, tais como férias e 13º salário, por hotéis, agências de turismo, donos de barco e empresas do ramo. As maiores demandas e oportunidades de contratação devem ser encontradas em regiões como a Amazônia, o Pantanal e o litoral brasileiro, que tendem a alcançar o maior patamar de profissionalismo. Mais que isso, ter 8km de costa e possuir 12% de toda água doce do mundo fazem do Brasil um dos principais destinos turísticos de pesca amadora do mundo – e mais turistas significa mais trabalho para os condutores de turismo de pesca.

Média salarial

O profissional pode trabalhar com carteira assinada, com salários a partir de R$ 1000, com cargo comissionado ou como Condutor de Turismo de Pesca free lancer, conquistando clientes a partir de propaganda, boca a boca ou parceria com a rede hoteleira. Nesse caso, podem fixar o preço que for mais adequado às suas necessidades e gastos na prática da atividade.

Dica

A renda de 15 dias de trabalho como Condutor de Turismo de Pesca pode vir a significar dois a três meses do valor obtido apenas com a pesca. Portanto, profissionalizar-se pode ser uma ótima opção!

Não encontramos nenhum curso no momento...

E aí, está animado para fazer o curso? Compartilhe conosco!